Práticas Sustentáveis

São apresentados de forma breve os projetos desenvolvidos e orientados por servidores do Cefet/RJ, voltados para a questão da sustentabilidade.

PROJETO:

SEJA UM ECO-AMIGO: COLETA E RECICLAGEM DE INSTRUMENTOS DE ESCRITA

PARTICIPAÇÃO:

Aline Guimarães Monteiro Trigo

Myrna da Cunha

Clara Lima

RESUMO:

Com o início do ano letivo, cresce a procura pelos novos materiais escolares, que substituem os usados que tem como destino o lixo, indo parar em aterros ou lixões. Destaque para os instrumentos de escrita, que são produzidos em série e de forma diversificada, atraindo um público cada vez maior. Para incentivar a cultura sustentável e conscientizar a população sobre a importância de preservar o meio ambiente, em defesa do consumo consciente, os coordenadores deste projeto veem a oportunidade de uma Instituição de Ensino DESENVOLVER UMA INICIATIVA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL QUE CONVIDE ALUNOS E SERVIDORES, EM COLETAR OS INSTRUMENTOS DE ESCRITA NÃO MAIS UTILIZADOS, a saber: lápis, lapiseiras, canetas, canetinhas, borrachas, apontadores, destaca-textos, marcadores permanentes e marcadores para quadro branco, quebrados ou em desuso, independente da marca. 

Figura: Cartaz de dvilgação e modelo de coletor dos instrumentos de escrita usados

Espelhamo-nos no projeto desenvolvido pela Faber-Castell, em parceria com a Terracycle, que é pioneira em ações de sustentabilidade e preocupada com a destinação correta dos resíduos de instrumentos de escrita. 

INFORMAÇÕES/ CONTATO SOBRE O PROJETO: cccss@cefet-rj.br

PROJETO:

SERFET SUSTENTÁVEL: DESENVOLVENDO PRINCÍPIOS, ESTIMULANDO IDEIA

PARTICIPAÇÃO:

Mônica de Castro Britto Vilardo – coordenadora

Airton Candido de Oliveira – aluno do curso técnico de informática

Elisângela Aprigio Santino – aluna do curso técnico em administração

Luana Mesquita Quintino Ribeiro – aluna do curso técnico em administração

Nathália Reis Assunção- aluna do curso técnico em administração

Matheus Luiz Franco Guedes da Silva- aluno do curso técnico em administração

Victor Serrão da Silva – aluno do curso técnico em administração

Vitor Britto Vilardo – aluno do curso técnico em edificações

RESUMO:

O projeto em questão tem o intuito de somar esforços às políticas institucionais que já vem sendo desenvolvidas no CEFET/RJ, no âmbito da sustentabilidade tendo como público-alvo os alunos dos cursos técnicos.

No contexto da educação ambiental, há que se compreender a concepção do meio ambiente em sua totalidade, considerando a interdependência entre o meio natural, o sócio-econômico e o cultural.  Tratar das questões ambientais na escola, além de problematizar as bases dos processos produtivos, possibilita que se aponte para uma formação que incorpore a compreensão dos limites da natureza. Os cursos técnicos do CEFET/RJ, na modalidade de ensino integrado, têm em sua proposta uma formação humana omnilateral, que apoiada no trabalho como princípio educativo, articula-se com dimensões da ciência, da tecnologia e da cultura. Traz também a perspectiva da integração entre saberes específicos para a produção do conhecimento e a intervenção social. Assim sendo, incorporar a dimensão ambiental na formação profissional vai ao encontro de tais pressupostos, ressaltando a necessidade de uma abordagem interdisciplinar.

O nome SERFET propõe, por um lado, que os alunos olhem para o CEFET como um meio ambiente do qual são parte integrante e sobre o qual devem ter postura responsável e cuidadosa, e por outro, que se atentem em valorizar menos as coisas e mais os seres. Assim sendo, pretende-se sensibilizar a comunidade escolar, realizando ações educativas em consonância com as demais práticas realizadas no CEFET, especialmente a coleta seletiva solidária.

INFORMAÇÕES/CONTATO SOBRE O PROJETO:

 

Facebook

https://www.facebook.com/serfetsustentavel/

E-mail

serfetsustentavel@gmail.com

 

PROJETO: RECICLA ELETRÔNICOS

PARTICIPAÇÃO:

Coordenadores: Myrna da Cunha e Alexandre Martinez dos Santos

Colaborador: João Terêncio Dias

RESUMO:

O projeto tem o propósito de contribuir para a prevenção do ambiente, evitando que materiais inadequados sejam jogados de forma irregular no mesmo, principalmente os materiais eletrônicos, que tem o crescimento acelerado de consumo e ainda não tem uma logística reversa adequada. Com o intuito de criar uma logística reversa para os materiais eletrônicos buscamos mostrar para as cooperativas de recicláveis e/ou para os catadores que é possível receber valores maiores com a venda de materiais eletrônicos, ou seja, se eles tiverem conhecimento de como desmontar estes materiais, eles podem vender por um preço de 05 (cinco) a 10 (dez) vezes maior que o valor do mesmo material montado, chamando a atenção para um nicho de negócios que ainda é pouco conhecido. Sabemos que só o social e a conservação do meio ambiente não motivam tanto, mas quando associamos valores mais altos, isto pode gerar uma mudança de comportamento, e isto é fato, pois temos um grande exemplo disto, que são as latas de alumínio. Então, decidimos aumentar os valores dos materiais eletrônicos recicláveis, ensinando a catadores e cooperativas a desmontar os diversos materiais eletrônicos e depois a vender cada peça. O PROJETO RECICLA ELETRÔNICOS busca conhecimentos em diversas áreas, como em segurança do trabalho e em meio ambiente no intuito de mostrar que não basta só reciclar, mas que temos que cuidar das pessoas e do meio ambiente para não existir nenhum tipo de contaminação. Destacam-se algumas formas adequadas de desmontagem, utilizando a orientação de professores, junto aos alunos do curso de telecomunicação, segurança do trabalho e meio ambiente, por meio de ferramentas, materiais e tecnologias apropriadas. Além disto, vamos procurar formas que ensinem como e para quem os materiais devem ser vendidos.

Aprendendo a desmontar CPU do computador e Televisão
Manual criado para desmontagem de CPU

INFORMAÇÕES/CONTATO SOBRE O PROJETO:

myrna.cunha@globo.com

PROJETO: REUTILIZAÇÃO DE ÁGUAS

PARTICIPAÇÃO:

Coordenadores: Alexandre Martinez dos Santos e Myrna da Cunha

RESUMO:

A água é uma das maiores fontes de vida do nosso planeta e é fundamental à sobrevivência do ser humano, por isto, tem um grande valor ambiental, social e também econômico. Devemos ter em mente que aproximadamente 70% da superfície da Terra são constituídos pela água, mas que somente 2,5% desta água não é salgada, ou seja, existe uma quantidade muito pequena de água disponível e própria para o consumo. Além disto, sabemos que sem a água, algumas atividades não poderiam ser executadas e acabariam tendo que recorrer a novas fontes, que muitas vezes encareceriam o processo ou que necessitariam de novos conhecimentos, como a geração de energia elétrica, a produção agrícola, vários tipos de indústrias, entre outras. Entendemos então que a água é fundamental para a nossa vida, mas não é infinita. Se este recurso é escasso, precisamos aprender a utilizá-lO somente para aquilo onde ele não pode ser substituído, temos que aprender a economizar para não faltar, e também podemos aprender a reutilizar água. E este é o nosso objetivo, economizar água utilizada no CEFET/RJ, sabemos que já existem várias ações sendo desenvolvidas, por este motivo vamos nos concentrar em reutilizar a água dentro da instituição; executaremos inspeções minuciosas com o objetivo de descobrir outras formar de economizar, que ainda não estejam sendo executadas. Nosso projeto visa reutilizar águas pluviais, e para isto vamos identificar os melhores pontos de captação dentro do CEFET/RJ Maracanã, e se estes pontos também forem adequados para a reutilização de água, criaremos uma conscientização sobre a importância da reutilização dos recursos hídricos de forma correta, para não existir a utilização de água potável onde não é necessário, e também para só serem utilizadas as águas pluviais nos jardins, para lavagem de pisos, para os sanitários entre outras atividades. Se conseguirmos implementar este projeto, vamos realizar uma grande economia de água e o ambiente será preservado, criando assim uma cultura ambiental mais adequada e sustentável.

Treinamento realizado pela empresa ECOCASA Tecnologia Ambiental no CEFET/RJ Maracanã

INFORMAÇÕES/CONTATO SOBRE O PROJETO:

myrna.cunha@globo.com

PROJETO: CEFET SUSTENTÁVEL: AÇÕES DA COMISSÃO DE COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA (CCSS) DO CAMPUS PETRÓPOLIS.

PARTICIPAÇÃO:

Roberta Rocha da Silva Leite

Suzana Santos Campos

Luciana de Souza Castro

Patrícia Ferreira de Souza Lima

Laice de Souza Scotelano

Rodrigo Rosa Silva

Veluma Marinho Loli

RESUMO:

Nossas ações foram voltadas para um público variado entre discentes da instituição ou não, servidores, terceirizados e comunidade externa. Dessa forma, o público envolvido direta ou indiretamente foi distribuído da seguinte forma: 90 servidores do campus, 600 discentes do campus, 20 funcionários terceirizados, 80 discentes de outras instituições de ensino do município, 110 da comunidade externa. Totalizando cerca de 900 pessoas. Vale ressaltar que alguns eventos são abertos ao público, como as feiras do desapego e não temos o controle do número de visitantes exato. Dentre as metas/propostas estabelecidas para o projeto e os resultados obtidos fizemos uma correlação descrita a seguir. Meta 1: incentivar a educação ambiental focando na aprendizagem e no manejo do material reciclável. Como resultados, realizamos as seguintes atividades: confecção e manutenção de coletores multisseletivos para o campus a partir de materiais reutilizáveis; revisão de tipos de materiais nos coletores multisseletivos do campus; participação na 5ª Reunião Ordinária do Conselho do campus Petrópolis para votação da extinção de coletores de lixo nas salas de aula do campus. Meta 2: encorajar a redução, o reaproveitamento e a reciclagem de resíduos produzidos no campus, objetivando-se a sustentabilidade. Como resultados, realizamos as seguintes atividades: confecção e fixação de aviso informativo para redução do uso de papel e tinta (seguindo modelo disponível na cartilha da A3P) em todas as impressoras do campus; confecção de placas com numeração dos computadores feitas a partir de material reutilizável para uso no laboratório de informática; reaproveitamento de isopores e outros materiais para mobiliário do campus; início da montagem de um jardim vertical nas dependências do campus utilizando garrafas PET e paletes descartados; confecção de enfeites para a ornamentação natalina do campus a partir de papelão, papéis e plásticos tipo BOPP descartados. Meta 3: conscientizar a comunidade cefetiana (servidores, terceirizados e discentes) e externa através de palestras, dinâmicas e vivências voltadas para o assunto. Como resultados, realizamos as seguintes atividades: I Seminário da CCSS: da teoria à prática; Exposição no saguão: objetos confeccionados a partir de materiais recicláveis por alunos do Centro de Referência em Educação Inclusiva de Petrópolis-RJ (apoio do NAPNE); participação na Gincana do Ensino Médio Integrado ao Técnico em Telecomunicações do CEFET/RJ campus Petrópolis – 2017: trabalhando a criatividade com materiais recicláveis; I Feira do desapego: redução do consumo e reaproveitamento/ Dia Mundial do Meio Ambiente; II Seminário da CCSS: 1 ano de trabalho;  II Feira do Desapego; participação de atividade na SEPEX junto ao NAPNE: “Circuito Sensorial: dialogando a deficiência e o meio ambiente”; participação em evento externo: Ciclo de palestras da Academia Brasileira Ambientalista de Letras; participação em evento externo em parceria com a CCCSS do campus Maracanã para apresentar o projeto à PRF.

Informações/contato sobre o projeto

ccss.petropolis@gmail.com

PROJETO: JARDIM VERTICAL NO CEFET/RJ CAMPUS PETRÓPOLIS: HUMANIZAÇÃO DE ESPAÇO, ESTUDO DE BOTÂNICA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PARTICIPAÇÃO:

Roberta Leite

Daniela Frey

Veluma Loli

Terezinha Itaione Ribeiro

Além de outros alunos e servidores voluntários esporádicos

RESUMO

O campus Petrópolis é carente em áreas abertas, contando apenas com um jardim externo lateral, ao qual servidores e alunos não possuem livre acesso. Os outros espaços abertos são pequenos corredores apenas entre os blocos e, por ser um imóvel tombado junto ao IPHAN, não permite modificações. Assim, os servidores e discentes não possuem um espaço aberto humanizado, que seja acessível para desfrutar durante os intervalos (almoço, lanche, intervalo entre aulas e outros). Dessa forma, o jardim vertical, por não ocupar espaço horizontal e por isso não atrapalhar a circulação de pessoas, pode e deve ser usado como uma ferramenta para saúde e bem estar no ambiente de trabalho/estudo. Os alunos do Ensino Médio, poderão fazer uso do jardim vertical de forma complementar (estudo de campo), na disciplina de biologia, na parte relativa à botânica. Atividades diversas podem ser realizadas com as espécies que forem plantadas. A idéia é que os alunos também participem da implantação do projeto, trazendo garrafas PET, ajudando na confecção dos recipientes, plantando e auxiliando na identificação botânica (as plantas serão catalogadas e terão seu nome popular e científico fixados no recipiente). Como fizemos uso de garrafas PET como jardineiras/vasos para as plantas e de paletes para sustentação, estamos trabalhando o REAPROVEITAMENTO de materiais recicláveis e a REDUÇÃO do consumo, já que não compramos os recipientes para plantar e as garrafas que, porventura, forem danificadas com o tempo, serão encaminhadas para a coleta seletiva para a RECICLAGEM. Além disso, a (re)introdução da vegetação nos espaços urbanos permite uma reflexão da atual temática ambiental. Utilizamos um modelo de recipiente/vaso com a garrafa PET que nos permite otimizar o sistema de irrigação, ou seja, não há necessidade de regar constantemente as plantas, pois há um armazenamento de água dentro do recipiente com pequenos furos para saída do excesso. Além disso, o sistema fica vedado, não permitindo o desenvolvimento de larvas de mosquitos.

Antes
Depois

Informações/contato sobre o projeto

ccss.petropolis@gmail.com

PROJETO: ACESSIBILIDADE PARA PESSOAS COM BAIXA VISÃO E CEGAS: CURSO INTRODUTÓRIO DE DOSVOX

PARTICIPAÇÃO:

Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidades Específicas (NAPNE) do campus Petrópolis

Daphne H. Velihovetchi e da professora de Libras, Soraia W. Toledo (Coordenação do NAPNE)

Débora de Oliveira Souza, aluna do curso de Licenciatura em Física.

RESUMO

Com o objetivo de contribuir na inclusão social de pessoas com Baixa Visão e Cegas, por meio do ensino da utilização de softwares e aplicativos computacionais pertinentes, em especial o DOSVOX e da aproximação da leitura e escrita de braile, o projeto coordenado pelo Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidades Específicas (NAPNE) do campus Petrópolis, contando com o apoio da aluna voluntária Débora de Oliveira Souza, ofereceu no período de julho de 2018 a comunidade do Cefet/RJ e externa um curso de extensão (de 18 horas, dividido em encontros semanais, às 5ª feiras, das 16h 30 às 18h.) para conhecimento dessas ferramentas. O curso esteve disponível para pessoas com Baixa Visão, Cegas e videntes (pessoas que não têm deficiência visual). Ao final do curso, os participantes receberam os certificados.

INFORMAÇÕES/ CONTATO SOBRE O PROJETO:

 E-mail: napne.petropolis@cefet-rj.br

PROJETO: TELHA ECOLÓGICA: DO PLANEJAMENTO A INSTALAÇÃO NO CAMPUS MARACANÃ

PARTICIPAÇÃO:

Aline Guimarães Monteiro Trigo (professora e pesquisadora na área da Sustentabilidade)

Gabriel Vaz (aluno de Engenharia Mecânica)

Marcio Ferreira (técnico do Departamento de Tecnologia da Informação)

RESUMO

Anualmente, seis bilhões de embalagens de caixas de leite são produzidas no país e apenas 14% são recicladas, o que ainda é pouco, considerando que este tipo de material se destinado de forma inadequada, em lixões ou aterros clandestinos, pode levar até 180 anos para se decompor na natureza (ECOPEX, 2018). Colabora, também, para os baixos números de reciclagem das caixas de leite, a complexa separação das camadas de plástico e alumínio. Por isso, os coordenadores deste projeto de extensão veem a oportunidade de uma Instituição de Ensino desenvolver uma iniciativa de responsabilidade socioambiental a partir da coleta e reaproveitamento, de forma artesanal, deste tipo de material e transformando numa espécie de telhado, colaborando para a melhoria da qualidade ambiental dos espaços internos ocupados pela comunidade do Cefet-RJ. É uma boa alternativa e de baixo custo, que deixará o local mais fresco, e ainda traz um impacto positivo ao meio ambiente, a partir do reaproveitamento de um material que iria para o lixo. As embalagens longa vida são revestidas de papel, plástico e alumínio. O processo de reciclagem das embalagens longa vida para produção de telhas é desenvolvido atualmente pela empresa Tetra Pak. Da embalagem, é retirado o papel (celulose) e utilizado o alumínio (revestimento interno) e o plástico para a produção das telhas. Há inúmeras vantagens, pois além de ecologicamente correto,  são mais baratas e leves em comparação com as telhas comuns, não quebram e permitem maior conforto térmico aos ambientes reduzindo as altas temperaturas. São resistentes ao granizo e indeformável,  além de flexíveis, a acústica é agradável e possui baixa condutividade térmica. (GLZ Telhas e Laminados Ecológicos, 2018) Futuramente, os coordenadores do projeto pretendem estender para as áreas da Engenharia Civil e do curso de Edificações a proposta de reaproveitamento para a reciclagem das caixas de leite e transformá-las em uma telha propriamente dita.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ECOPEX. Telha ecológica de caixinha de leite. Disponível em: http://www.ecopex.com.br/telha-ecologica-de-caixinha-de-leite/ Acesso em 14 Fev. 2018

GLZ Telhas e Laminados Ecológicos. Disponível em: < http://www.glztelhas.com.br/> Acesso em 14 Fev.2018

INFORMAÇÕES/ CONTATO SOBRE O PROJETO:

 E-mail: sustentabilidade@cefet-rj.br

FOTOS DA CONSTRUÇÃO DO TELHADO ECOLÓGICO:

Passo 1: Abrir as caixas de leite, que já tinham sido lavadas e secas, e cortar as bordas da caixa.

 

Passo 2: Colocar as caixas lado a lado, e por cima, uma folha de papel, que unirá uma caixa a outra, por meio do calor que é gerado por um ferro de passar. O ferro passa por cima do papel, que prenderá as caixas de leite.

Passo 3: Visão, do verso da caixa de leite, após coladas. São duas fileiras de caixas de leite.

Passo 4: São cinco fileiras, de caixas de leite, coladas. Formando um “pedaço” do Telhado ecológico.

PROJETO: O MARACANÃ E SUAS ÁRVORES – UM APLICATIVO SOBRE ARBORIZAÇÃO URBANA

PARTICIPAÇÃO:

Leonardo de Bem Lignani. (professor orientador),

Lucas Guarnelli Scherpel,

Leonardo Galvão Lima.

 RESUMO

O projeto “O Maracanã e suas árvores” tem como intuito criar um aplicativo simples e interativo, com um foco no público geral, para a divulgação de informações sobre arborização urbana ao redor do estádio Mário Filho. Pretendemos também atuar na socialização de informações sobre a importância da vegetação nos centros urbanos. A ferramenta utilizada na criação do aplicativo foi o Stencyl, programa que permite o desenvolvimento de softwares tanto para as plataformas móveis, como tablets e celulares, quanto para computadores. Além de apresentar fichas informativas sobre as espécies encontradas, o aplicativo também possui um mapa interativo que possibilita a localização destas nos diferentes locais ao redor do estádio. As informações sobre as espécies foram obtidas através de pesquisa bibliográfica e de saídas de campo, quando foram produzidas as fotos utilizadas nas fichas de identificação. Além disso, o usuário também pode identificar uma determinada espécie usando a função “Chave das Espécies”: inspirada nas tradicionais chaves dicotômicas de classificação botânica. A proposta da chave presente no aplicativo é utilizar desenhos e características de fácil identificação permitindo seu uso por um público não especializado. Atualmente o aplicativo “O Maracanã e suas Árvores” está hospedado em um site, permitindo que o acesso possa ser realizado através de computadores. Espera-se que o mesmo possa estimular o interesse pela temática e divulgar a importância deste assunto na sociedade, permitindo sua utilização principalmente por professores das escolas do entorno em atividades de ensino de ciências e educação ambiental.

 

Clique aqui

O guia de identificação de espécies de árvores do entorno do Maracanã pode ser acessado clicando no icone ao lado.

INFORMAÇÕES/ CONTATO SOBRE O PROJETO:

 E-mail: leonardo.lignani@cefet-rj.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *